Governo do Estado não tem participação financeira na construção financeira das Casas Populares do Bairro Estação da Luz, diz superintendente

Governo do Estado não tem participação financeira na construção financeira das Casas Populares do Bairro Estação da Luz, diz superintendente

Em entrevista ao Jornal Transamérica 2ª edição, dessa quarta-feira, 07 de fevereiro, Gabriel Nunes, Superintendente de Habitação do Governo do Estado, esclareceu que o Governo do Estado, através da SEDUR, não tem participação financeira na Construção das Casas Populares, do Bairro Estação da Luz, projeto de 2012, de responsabilidade do Ministério das Cidades, tendo como agente financeiro, o Banco Paulista.

“O Governo do Estado, nesse projeto é apenas o agente organizador. Com a saída das famílias mediante determinação judicial será iniciado o trabalho de conclusão das moradias”, explicou Gabriel Nunes.

Sobre a desistência da empresa MM3 Engenharia, alegando que o valor da obra estava defasado e que por esse motivo não teria condições de tocar a obra, Gabriel disse que não tem informações ainda se a MM3 Engenharia será a empresa escolhida para seguir com a realização, mas assim que as casas forem desocupadas pelas famílias, todos esses detalhes serão trabalhados, citando ainda que após essa etapa, o projeto será concluído com a construção de mais oito casas, perfazendo um total de 50 casas.

Das 24 ocupações em marco de 2017, apenas três famílias estavam na lista de beneficiários originais, as demais famílias na lista de não originais.

O REPORTERBAHIA, obteve informações através de Dr. Daniel Novais, advogado da secretária de Assistência Social, que na segunda-feira, 05, último dia dos dez dias concedidos pela justiça para a desocupação, 11 famílias deixaram as casas, as demais estão alegando que não tem como sair alegando que não tem para onde ir, ou até mesmo falta de recursos para alugar uma casa, informações trabalhadas mediante entrevista no Jornal Transamérica 2ª edição. Sobre as alegações, o advogado disse que para os casos mais extremos seria dada uma atenção a mais, mas que as famílias saíssem das casas em cumprimento a determinação judicial.

Texto e foto: Arnaldo Silva

Com informação reporterbahia

Fonte:: DESTAQUES – CAPIM GROSSO

Deixe uma resposta