Capim Grosso: vereadores retornam do recesso pedindo a presença da guarda Municipal nas UBS.

agosto 2, 2017 Sem comentários »

Capim Grosso: vereadores retornam do recesso pedindo a presença da guarda Municipal nas UBS.

Nesta última terça feira, 1º de agosto de 2017, deu-se início a etapa 2017.2 do Poder legislativo Municipal, com a presença de populares, secretários e imprensa. Vários projetos e requerimentos foram postos em análise dos edis.

Palavra do Presidente – Bruno Vitor, deu início a sessão solene na qual oficializou os trabalhos da Casa para o 2º semestre de 2017. Na sessão ordinária disse que a população tenha um pouco de paciência e que o vereador não tem o poder de fazer, mas que os edis estão fazendo suas cobranças. Também comentou sobre o Projeto de Lei sobre a isenção para idosos iguais ou acima de 65 anos a não cobrança de IPTU. “Eu sou contra a cobrança de impostos a aposentados acima de 65 anos que recebem um salário mínimo e mal dá pra pagar seus medicamentos, ainda pagar impostos abusivos”. Pediu a criação da Central de Distribuição de Medicamentos. “É uma forma também de ter um local para receber doações de medicamentos de cidadãos”, completou.

Jó Queiroz disse que passou no Posto Médico Padre Xavier, onde encontrou gavetas e outros materiais quebrados. Também comentou sobre seu requerimento que pede a presença de um Guarda Municipal em Posto de Saúde que tem pessoas que não estão respeitando funcionários. Informou que visitou o Posto de Saúde do Estado, onde está acontecendo uma reforma, mas o forro está precisando refazer. Disse que está bom fazer a calçada padronizada, mas o errado é cobrar 130 reais por metro aos comerciantes, “pois existem prédios que pagam mais de 1 mil reais de IPTU e para que esse dinheiro está servindo?”, interrogou. Também reclamou que foi promessa de campanha e não está cumprindo e ruas estão na lama. Criticou pessoas que acreditam que o Vereador tem poder de caneta, e que a obrigação é da Prefeitura, mas continua cobrando. “Se Vereador tivesse esse poder, Capim Grosso já estaria calçado”, disse. Não é porque somos oposição que não vamos apoiar o que for para o bem de Capim Grosso, estas Câmara que passaram e tiveram atritos é problema deles, esta Câmara sabe respeitar o povo desta terra”, concluiu.

Nem da Pastoral disse que o Vereador não descansa, parou as sessões mas cada um no seu dia a dia, saudou as Secretarias Municipais e todos os presentes. Parabenizou o Vereador Jó, pelo requerimento e que o Posto padre Xavier realmente precisa de um guarda municipal. Agradeceu a Prefeita Lydia por atender o requerimento de sua autoria com apoio de todos os edis, sobre o cantor católico Padre Juarez, ficando uma crítica aos donos de quiosques que venderam bebida alcoólicas durante o show. “Isso é feio”, disse. Informou que esteve em Jacobina junto ao Rotary Club, explicando a dificuldade para encontrar bolsas de sangue para operações, e já tem data marcada para a chegada de um ônibus vindo de Salvador e será feita a divulgação para arrecadação de no mínimo 100 bolsas de sangue.

Samoel Moto Taxi disse ter ouvido muitas coisas através das redes sociais, por morar em uma rua sem pavimentação, e sabe quanto que é duro em uma rua sem calçamento. Lembrou que seu primeiro requerimento na primeira gestão, foi pedindo para que calçassem a Rua Angelita Queiroz, mas não tem o poder da caneta, porém, vai continuar cobrando, mesmo quando acabar o mandato vai cobrar como cidadão, “mas houve críticas sem fundamento”, adiantou. “O povo está indignado com a forma que está acontecendo no município, pois as pessoas vão até o setor pagar todas as taxas e na hora de retirar uma escritura não consegue, mesmo gastando cinco ou seis mil reais, e porque não informam ao povo, onde está o problema, quem pode resolver?” perguntou. “Na condição de vereadores o mínimo podemos fazer é convocar os setores e descobrir onde está o problema para informar ao povo, pois estão travados com essa situação”, indicou. Comentou que vai aguardar o andamento do vereador Nanal que está à frente de recolher às informações e se não acontecer uma resposta vai ser necessário a Câmara ir buscar. Disse que gosta de cobrar e fazer críticas construtivas e na oportunidade diante da Secretaria de Saúde, Aytan Guimarães e a Secretaria de Assistência Social, Hosana Ferreira, pediu que retornem mais vezes à Casa, para que os discursos dos vereadores não cheguem distorcidos, “eu não mudo o discurso porque Secretário ou Diretor está presente, e o que está acontecendo no município, sei que não é culpa sua e sei a vontade de fazer as coisas acontecer, mas não é justo o município passar pelo que estão passando, escuto que a saúde está maravilha, mas as mesmas cirurgia as pessoas procuram várias vezes, isso não é normal, uma pessoa ir em Saúde ganhar nenê, ir em Caldeirão fazer uma maquiadura”, reclamou. “Às vezes faltam ferramentas, ninguém capina sem a enxada, o que desejo é sucesso para a secretária, mas percebo que as ferramentas ainda não chegaram em suas mãos’, completou. “Aqui se falou tanto em INSS que a gestão passada deixou em dias e o município e está prestes a perder uma emenda parlamentar por falta de pagamento do INSS”, falou. “A gente poderia encontrar um lugar para fazer uma cirurgia de um munícipe ir tirar proveito disso, mas eu acho é fraqueza da gestão, se Mairi tem, Caém tem, Saúde tem, Capim groso também pode ter, pois o FPM é de quase 5 milhões de reais”, concluiu.

Nanal Vilas Boas disse que retornou aos trabalhos da casa no exercício 2017 e que aprenderam muito no 1º semestre, o 2º semestre com enceramento em dezembro tirará algumas conclusões benéficas. Comentou que as críticas são necessárias para que o Executivo tome providências na maneira de executar as atribuições. “Os vereadores merecem as atenções se tratando dos requerimentos que chegam ao Executivo e poucos são apreciados pelo aquele poder e os problemas que estão sendo vistos puderam ser evitados e poderão ainda serem se houver uma averiguação nos requerimentos”. Um exemplo maior que sempre defende é a descentralização do Poder executivo, não primordialmente da gestora, “mas infelizmente a gestão se atrapalhou e quem tem um pouco de noção de administração pública percebe”, completou. Vem falando no tríplice comando da prefeitura em emperrar o trabalho. Disse que já tem secretaria fazendo políticas para 2020 com a visão própria e quem exerce cargo público tem que gerir para o bem público para os munícipes e não para seu caminho na política vindoura. “Criamos a Secretaria de Planejamento, para que se desenvolva faz é necessário que o tríplice comando abra mão daquilo que não é de sua função, porque não agora esses requerimentos sejam destinados a referida secretaria para que analise a preposição e julgue com a gestora o que está sendo proposto?”, interrogou. “Em meados de março mandei um pedido de orçamento para a construção das calçadas e inserir algo que poucos conhecem, existindo para o trabalho de calçadas padronizadas que após o orçamento de custo que se discutisse com proprietário de imóveis, fazer por meio do imposto chamado contribuição de melhorias e me sinto desprestigiado e depois a gestão vai entrar em contradição, aos invés do município entrar com o projeto e os particulares acompanharem, inverterem as oposições e isso mostro que o tríplice comando do município não está funcionando em prol do município”, declarou. Informou que saiu a licitação dos pequenos reparos e agora é preciso que as pequenas ações sejam realizadas pois fazem diferença ao cidadão capimgrossense que corre risco por conta da falta de um quebra molas, ou melhorias na feira livre, e a questão dos animais domésticos de rua dessa cidade, pois se construir um local próprio, existe um projeto de castração. “Existe demora para pavimentar ainda que aquela rua já está incluída no projeto de pavimentação para Capim Grosso e pedi apenas uma carrada de entulho para resolver o problema da Rua Irlande, no Bairro Sacramento e hoje quase quinze dias depois o problema não foi resolvido e interessante é que os terrenos de empresários continuaram sendo aterrados pelo município, vou no gabinete da prefeita e por legalidade do meio da calçada urbana e para a coisa funcionar sem demanda judicial”, concluiu.

Lucas Maciel explicou que os fiscalizadores do Poder Público precisam ter cuidado para que não haja cruzeta entre os poder privado e público na saúde, “pode ser que não e pode ser que sim”. Elogiou o trabalho de Paulo referente a diretoria da UPA, dizendo que oposição não queria aquilo de quanto pior melhor, quer que melhore os serviços e a oposição é para tentar melhorar os serviços para a população. Disse que também recebeu cobranças e solicitações de pessoas sobre escrituras públicas, e a prefeitura dava um título de reconhecimento particular que serviam para registrar os imóveis, outras pessoas faziam seus financiamentos e tinham suas casas próprias. Comentou que foi chamado também pela Caixa Econômica Federal, que hoje em dia só trabalha se existir a linha de credito de financiamento habitacional e se não existir a Caixa pode fechar, e agora ela depende que os vereadores possam resolver esse problema, “eu disse que a Câmara está disponível para votar qualquer Lei que seja benéfica para a população”, completou. Lembrou que a Prefeitura entrou com contra partida comprando o terreno para que a Caixa fosse instalada, “semana passada houve uma reunião e que fosse passado para o cartório o que seria necessário para resolver o problema”, adiantou. Parabenizou o Presidente da Casa pelo requerimento sobre a isenção do sistema tributário municipal, “me cortou o coração quando uma pessoa tirou o Bolsa Família e que mal deu para pagar o seu IPTU, está abusivo, sou a favor na cobrança de imposto e tributos, agora abusivos não, a Chefe do Executivo Municipal já foi chamada de boazinha e mãe, poderia rever o código tributário que foi votado às escuras em 2012”, continuou. “Outro senhor vendeu a casa em 2001 e chegou a cobrança de mais de 3 mil reais e o dono da casa que ele vendeu também recebeu a mesma cobrança”, informou. “A população tem que arcas com seus compromisso, mas a prefeitura tem que ter a responsabilidade que isso não existe, será que é justo em pouco tempo dobrar os impostos?”, indagou. “O IPTU está alto, alguns saem no valor correto, mas outros estão sendo abusivos”, concluiu

Jeferson Ferreira disse que um grupo heterogêneo está tentando resolver o erro sobre os títulos, para que resolva o problema com a Caixa Econômica Federal. Disse que é preocupante a saída da Caixa, mas são muitas opiniões sendo necessário ir ao meio legal com o Juiz dando orientações e o Poder Executivo vai estudar. Explicou que o papel do vereador é acompanhar, que seja oposição ou situação. Disse que o município não tem pendência com o INSS e precisa averiguar sobre a emenda parlamentar citada. “O papel é cobrar que as ações sejam executadas e o vereador não tem a tinta na caneta pra dizer que vai calçar ruas e parabenizou a gestão que tem um projeto de calçar 48 ruas com recursos próprios e a Prefeita reafirma, mesmo que esteja atrasada, mas não se vai reduzir a quantidade de ruas, fora as emendas que serão buscadas a deputados e senadores”, adiantou. Informou que serão reformadas os postos de saúde como Pedras Altas e Semo. “O hospital de Capim Grosso que tem gestão privada é autorizado a realizar partos humanizados com convênio em um programa junto ao Governo do Estado, “está acontecendo uma reforma para o núcleo que recebe gestantes inclusive com banheiras, para melhorar a qualidade de vida das gestantes, e faz parte do Rede Cegonha do Governo do Estado”, completou. Informou que foram realizadas 50 cirurgias com munícipes de Capim Grosso em um mutirão em Miguel Calmom. “É a melhor saúde que nós temos na região e que as secretarias façam um trabalho para atender bem o povo, se isso não acontecer vamos nas gestões dos secretários para reclamar. Aconteceram duas conferências da Assistência Social e a da Saúde, com participação popular e vi muitos usuários participando e ficamos felizes em ver a sociedade civil organizada junto aos representantes de classes. Parabenizou a Paroquia São Cristovam e a equipe Capim Grosso pelo eventos que aconteceram na cidade.

Arivelton Mota comentou que pessoas estão preocupadas com lamaçal do Novo Oeste e presenciou a situação e agora preocupado esteve com o Presidente da Câmara, Bruno Vitor e em conversa com a Prefeita, que também se demonstrou preocupada e que infelizmente não tem condição de calçar todas as ruas que precisam, mas, ligou para os secretário de urbanismo e pediu que verificasse a questão do pó de brita e realmente deu uma melhorada e serão tomadas providencias. Comentou sobre o requerimento de número 49/2017 que pede a retirada de um outdoor e por pouco não aconteceu acidente grave com o pedestre na Av . ACM em frente a sinaleira onde estão colocados alguns outdoors.

Gilberto Alves agradeceu a prefeita Lydia pela iluminação da Avenida Jacobina até a rua Antonio Costa e que também vai ser feita a reforma dos canteiros. Pediu que a população compareça a sessão da câmara para acompanhar os projetos dos vereadores.

Antônio Martinho disse que não vai a tribuna ser representante nem defender gestão publica, pois vem defender as classes e que é mais fervorosa a cobrança na gestão para que os benefícios cheguem ao cidadão, “mas ter gratidão é importante”, disse. Registrou uma cobrança a Secretaria de Educação onde nas escolas do Lajedo e Junquinho os raques estão amarados de arames e vai para onde o vento leva, e o padrão ainda não foi feita a ligação, mesmo com o serviço iniciado, precisando que seja invertido o serviço, retirando os raques quebrados e funcionar os que foram colocados nas paredes. Parabenizou a Paroquia São Cristovam pelo momento importante, explicando que é preciso saber sobre os festejos de padroeiro e onde a igreja está nesta representação. Informou que foi convidado pela escola do Junquinho e junto as turmas, questionou para mudar o nome da escola e foi citado vários nomes. Parabenizou a equipe Capim Cross pelo Motocross. Parabenizou a Secretaria de Saúde pela realização da 5ª Conferencia de Municipal, que foram realizadas pré conferencias antes, nas comunidades. “Nesse momento em que houve vários reclames da sociedade sobre as lamas das ruas, bom que é lama, choveu menos de vinte milímetros e não tem causado prejuízos “e se vier uma chuva de 100 ou 200 milímetros?”, interrogou. “Ouvindo a cidade e o campo, me sinto impotente porque você chega nas comunidades e a pessoa diz que pediu uma água tem 90 dias, tem 30 dias, olha a situação dessa estrada, pedi limpeza da aguada desde o ano passado, e não é a gente que faz, mas podemos fazer as cobranças”, completou. “O Pó da brita ela será a caçamba do PAC II e ai a zona rural vai sofrer novamente”. Amanhã é um dia importante a câmara dos deputados vai voltar a denúncia do Tribunal Federal e a expectativa é que a justiça seja feita por parte dos Deputados.

Jamber Dantas parabenizou a Rádio Contorno FM pelos 16 anos de aniversário. “Quando se fala de saúde não podemos nos calar e dá a nossa contribuição e gostaria que uma simples frases fossem levadas aos corações das pessoas questão a frente, pensem dessa forma se for possível eu faço e se for impossível me dê mais cinco minutos”, orientou. Parabenizou a Secretaria Aytan pela forma que vem conduzindo os trabalhos da Secretaria de Saúde, pois sabe do esforço que está sendo feito, não tendo a melhor saúde, mas tem a melhor saúde da região. “O humanismo e a forma decente que a equipe de saúde vem fazendo no município não posso deixar de parabenizar”. “Sobre as cirurgias que não estão sendo realizadas em Capim Grosso, somos legisladores e fiscalizadores do dinheiro público e ainda um braço do assistencialismo, pois somos muito procurados, e tenho a informação que só não são realizadas cirurgias de mioma quando as pessoas não procuram nos Postos de Saúde do Planalto, ou Pedras Altas, pelo médico Dr Luciano Pinheiro ou Dr Pinheiro e os partos humanizados é orientação do Ministério Público, e uma cesariana só deve acontecer em caso de indicação e Capim Grosso tem sim um serviço prestado nesse sentido por parte desses profissionais”, esclareceu. “Nós estamos sendo muito cobrados por questões de calçamentos e parabenizo a Prefeita Lydia por um compromisso de campanha e vai realizar uma obra de 48 ruas calçadas e isso já se iniciou há poucos dias, Capim Grosso cresce de maneira muito rápida e não existe estrutura suficiente para realizar tudo de uma só vez, existe uma gestão seria que se preocupa com os problemas relacionados quanta a chuva quanto os períodos de estiagem nas ruas que não tem pavimentação”, explicou. Parabenizou a equipe Capimcross em nome do Vereador Samoel, que foi um excelente evento e uma mega estrutura e precisa parabenizar toda a equipe. Parabenizou a Igreja Católica pelos eventos realizados nas festas de padroeiro São Cristovam. Disse que o vereador Nanal está correto, Hosana Ferreira e Aytan Guimarães também estão fazendo um brilhante trabalho e que sirvam de exemplo para as demais secretarias, para que a gestão não possa vir passar por dificuldades ou problemas.

Com informações Facebook da Câmara

Fonte:: DESTAQUES – CAPIM GROSSO

Assunto Relacionado

Comente