Capim Grosso: Vereadores convidam os Capimgrossenses para participar da Audiência Publica.

Capim Grosso: Vereadores convidam os Capimgrossenses para participar da Audiência Publica.

Nesta segunda-feira, 07, foi realizada mais uma sessão ordinária da Câmara Municipal de Vereadores de Capim Grosso, a segunda pauta do segundo semestre de 2017, inclui projetos de leis do legislativo que serão encaminhados às Comissões competentes e a votação de projetos de lei do executivo e de autoria também de vereadores, além de requerimentos.

Palavra do Presidente – Bruno Vitor convidou a população para na próxima quarta-feira, 09, participarem de uma audiência pública referente a regulamentação da Guarda Municipal. Cobrou ações mais efetivas da polícia, e comentou da luta dos vereadores para trazer melhorias para a cidade. Bruno disse que Capim Grosso ficou de receber um delegado plantonista e o Sub Secretário de Segurança Pública do Estado ainda está analisando essa possibilidade.

Jeferson Ferreira, agradeceu a gestão de Dr(a) Lydia Pinheiro pela reinauguração do núcleo de convivência em Pedras Altas, “a cada dia se percebe que a gestão vem realizando obras”. Informou que visitou na última quinta-feira,03, o PSF do Bairro Novo Oeste e encontrou a Prefeita e Secretaria de Saúde, Aytan Guimarães, fazendo levantamentos e isso é a preocupação da gestão no tocante ao atendimento ao público. Anunciou uma obra de nova praça, em Pedras Altas em frente à escola municipal, onde as crianças e adolescentes poderão se reunir com segurança. Comentou sobre a troca de iluminação do Peixe e Caiçara. Informou que pediu a construção de um canteiro central na Rua José Almeida, através de requerimento verbal, para que venha melhorar a condição para uso dos munícipes.

Nem da Pastoral – Informou que esteve na feira-livre nesta segunda feira, 07, e teve um acidente no local, sendo que já pediu a pintura dos quebra-molas, pois outra senhora caiu. O edil se dirigiu até ao Secretário de obras e recebeu a garantia que nesta terça feira, 08, será começado os trabalhos de pintura dos seis quebra-molas, “quando é feito de paralelo você não ver”, completou. Agradeceu a Prefeita Lydia, pelos moradores da ruas Getúlio Vargas e Cardeal da Silva, onde foram feitos melhoramentos na rede de esgoto, que minimizou a fedentina. Disse que alguns barraqueiros estão preocupados em serem deslocados para parte do sol, porém, a prefeita explicou que serão deslocados apenas após construção da cobertura e sobre o imposto semanal, precisa ser dispensado pois eles ganham pouco. Também falou que será iniciado a campanha do Hemoba, encabeçada pelo Rotary Club. Avisou aos moradores do Bairro Jardim Formosa e que as pessoas precisam procurar os vereadores, e tem um compromisso com o prédio do Bairro, que em Novembro vai começar a reforma.

Jó Queiroz disse que Eliomar Pires Neves, Chefe do setor de Arrecadação Tributária, recebeu solicitação de parcelamento do INSS da gestão municipal passada, “quem continuar até 2021, vai continuar pagando, será que a prefeita atual vai continuar na mesma cartilha porque o advogado Almeida da Cruz já foi do passado, agora vai um contrato de mais um ano, se é secretário a maioria são os mesmos, Capim Grosso não vai pra frente nunca, você vai no fundo do baú buscar as coisas e como está?”, reclamou. Cobrou a semana passada o a parelho para aferir pressão do Bairro José Mendes, mandaram um usado e todo enferrujado, um aparelho barato, gavetas todas quebradas, nada de consertar, para o município não custa nada e vai deixar acabar?”, continuou, pedindo explicações. “Ela tem que tomar consciência que quem manda é ela, ela não está tendo autonomia, precisa colocar uns camaradas para trabalhar, tem gente querendo trabalhar, à frente da secretaria de urbanismo tem Ivanildo Fúba, é quem merece estar no lugar, já o vi 10 horas da noite trocando lâmpadas e o outro nunca vi fazendo nada”, finalizou.

Nanal Vilas Boas lamentou a morte de Adelidio Santos, do povoado de Caiçara. Começou agradecendo a gestão pelo patrolamento na estrada que liga o km 02 ao Lagedo, “todos os moradores pedindo e a Secretaria de obras e Urbanismo fez”. Reforçou o pedido de uma construção de ponto de ônibus urbano no Jardim Formosa, no qual os alunos e adolescentes ficam em baixo de sol ou chuva, “reforço porque no final do mês de junho foi outorgado a licitação de pequenos repares e por se tratar de um serviço de pequeno porte, creio que já esteja inserido”. Um requerimento de hoje, por renovação numérica de ordem de portas de prédios, pois foi feito recadastramento em 2011, comunicando a Embasa, Coelba, Correios, escritórios de contabilidades e órgão interessados, com ofício circular que à partir daquela data a ordem numérica teria sido mudada, pois antigamente era Avenida Jacobina e AV. Santana, em 1994 houve a unificação contrariando a ordem numérica, e aquelas que precisavam entregar documentações e correspondências vivam equivocados. “Peço a gestão que encaminhe pois me disponibilizo acompanha-los para facilitar o trabalho dos mesmos”. Disse ter feito também de propriedade pelo da Lei 154, que se consta a regulamentação do que se dispõe ao incentivo dos funcionários de setor de tributos e fiz a proposta acrescentando cinco artigos e alguns incisos na Lei, para que a Secretária de Finanças veja o que falta na parte textual dos artigos, fora de posicionamento, esperando que a Secretaria de Finanças, faça o aditamento da lei para complementar e não causar prejuízos aos funcionários. Reclamou da Secretaria de Finanças que estão desfigurando o setor de tributos, que foi referência de muito trabalho e muitas resoluções, por ter como resolver com o contribuinte dentro da ordem e da lei com atendimento a altura. Foi deslocado da sede por motivo de centralização, na Avenida ACM, entre os bancos comerciais e o comercio local, seria o ponto estratégico para ajudar o contribuinte e trabalhar com independente daqueles que estão designados a gerir com autonomia e cumprimento da Lei e hoje na sede existe apenas dos funcionários burocráticos dos serviços público, o superintendente e o auxiliar, todas as outras repartições foram para a Secretaria de Finanças, que corresponde no organograma administrativo à parte maior do escalão e o setor de tributos, é quem de fato tem que atender o contribuinte. “E porque esse controle, tomando o espaço daquilo que de fato é competência do setor de tributos?”, perguntou.

Jamber Dantas também comentou sobre o falecimento de Adelidio Santos, do povoado de Caiçara. Falou que é necessário convidar o Comando da Polícia Militar e se estender para o Chefe da Polícia Civil, pois Capim Grosso continua sendo vítima de vândalos. “A UPA teve a vidraça apedrejada por volta das 5 horas da manhã, pelo que parece em uma ação de gangues, em Pedras Altas as ações d meliantes não param”, informou. “Os vereadores foram até a capital para pedir mais segurança junto com a prefeita, que vai acompanhar mais uma vez os vereadores para que possam chamar a atenção da segurança pública do estado da Bahia”. Reclamou que existem sons automotivos tipo paredões funcionando no município sem fiscalização. Comentou que em Pedras Altas, jovens que se utilizam de motocicletas com placas suspensas, sem capacetes e descargas alteradas, infernizam a vida dos moradores , com manobras sobre um das rodas e arruaças, além de roubos de celulares e arrombamentos de casas, sendo preciso chamar a atenção do responsável pela segurança do município, cobrando uma postura mais firme da polícia militar e polícia civil, “fiz a ligação para a PM e não fui atendido e imagino quantos populares não tentam de alguma forma chamar um socorro da polícia e não receber o atendimento”, indagou. “Esperamos respostas e que possam vir de maneira rápida”. Parabenizou o setor de iluminação da Secretaria de Obras e Urbanismo, que realizou trabalho no povoado do Peixe e também de Pedras Altas, atendendo os requerimentos dos vereadores. Falou sobre a inauguração do centro de convivência da Secretaria de Assistência Social, “eu parabenizo a Secretaria Hosana, e que façam então o trabalho como vem sendo realizado por ela, que veio da gestão passada e mesmo assim manteve o nível de trabalho e atendendo a população mais carente do município”, elogiou.

Samoel Moto Taxi – disse que a Diretoria de Meio Ambiente ainda não se sabe para que veio, “arrecadam impostos e é de três a quatro mil reais para conseguir uma licença ambiental e esse dinheiro não pode ser revertido para pagar podas de arvores?”, perguntou. “IPTU, taxa de iluminação pública, se vai padronizar calçada o povo tem que pagar e contribuir, cadê o benéfico do povo, no início do mandato acompanhei o vídeo sobre o mercado de farinha, caindo os pedaços, protocolaram uma reforma está pra cair na cabeça do povo”, reclamou. “Ninguém agüenta mais chegar no posto médico e ter dificuldade para marcar ultrassom, e quando vai ser atendido o menino vai fazer 01 ano de idade, tem dificuldade para marcar um transvaginal e o povo contribui com tudo, com todas as taxas, e quando precisa tem que colocar a mão no bolso”, completou. “Quando o político vai no Bairro dizendo que vai colocar as coisas é balela, pelo que o povo paga não era pra ninguém colocar mão no bolso para pagar exame, é injusto uma gestante pegar fila, se a planilha do SUS fosse verdade as mamães eram tratadas de forma espetacular, já encontrei quatro gestantes dentro de uma ambulância só, para realizar exames e a gente acompanha os recursos do município”, explicou. Comentou sobre a taxa de iluminação pública, que a zona rural continua pagando e o braço não chega na casa do povo e isso chama-se segurança pública, “fica mais fácil para identificar se tem algum meliante e no escuro fica mais fácil para o meliante agir”, orientou. “Essas empresas que brigam tanto para levar o nosso dinheiro não precisam existir, porque é o povo que paga tudo”, completou. “Um município com FPM de 5 milhões de reais e pessoas procurando atendimento em outras cidades na região, as próprias pessoas que falam aqui na tribuna que a saúde é a melhor da região, levam pessoas para cirurgias em Coité e Mairi, o correto é ter, é chegar no hospital e independente de quem seja e estar lá a sua vaga”, comentou. “Algumas cabeças atrasadas da política arcaica falam que vai olhar para os seus, votar é democracia, tenho direito de escolha, não é porque não votei naquele candidato que não tenho o direito a vaga”, facilidades para um grupo e para outro dificuldades”, criticou. “Quando a gente ver inúmeros imóveis alugados e sem necessidade e tem gente que não fala aqui com medo do empresário ficar com raiva, é por isso que eu defendo sempre os menos favorecido. Com terrenos a disposição e 200 mil reais gastos por ano é o que esse município desembolsa para manter grupo político”, denunciou. “O Fúba merece ser reconhecido, vejo trabalhar até as 10 da noite e quando tem alguém se esforçando a gente tem que reconhecer, parabéns ao Fúba e espero que as coisas venham acontecer ao município, enquanto vereador vou continuar cobrando e quando não for mais, vou cobrar como cidadão”, concluiu.

Antonio Martinho – Comentou sobre o falecimento do Senhor Agenor de Dezinha. Lembrou sobre o julgamento da denúncia contra o Presidente Temer, que parte dos brasileiros queriam vê-lo fora do mandato mas os Deputados não fizeram seus papeis por conta de acordos políticos. “A justificativa seria que pós o mandato ele seria julgado, consciente dos crimes e de problemas e não adiantaram esse processo”, completou. “Gostaria de mostrar a indignação, pois existe uma lei que veio para fortalecer a Agricultura Familiar e também fiz a defesa que estamos em anos seguidos de longas estiagens e impossível conseguir o que a lei do PENAI requer que é a alimentação da escola vindo da Agricultura Familiar, mas nos deixa triste, pois os grupos de produção , estamos no 7º mês e apenas uma compra foi solicitada e assim não fortalece e não possibilita as fabriquetas que tem no município, nós enquanto gestão estamos fortalecendo, as mínimas iniciativas populares, fica aqui o repudio, pois precisamos de um olhar mais sensato”, cobrou. Disse também que não quer ser julgado com o uma hora uma coisa e outra hora outra, mas que o MPA que representa a categoria rural, tem pautado com o BNDES o projeto de entreposto de mel e no mandato passado foi pautado a doação de um terreno para o MPA em meio a BR 407, próximo a Ivo Luciano, “solicitei do Secretário Geral que enviasse para essa Casa o projeto de doação, pois está bem avançado para no início, a construção desse imóvel avaliado em 1,5 milhões de reais para o entreposto de mel, uma atividade que está iniciando seu desenvolvimento, gostaria do apoio de cada um de vocês para a aprovação da doação do terreno. “Devemos ter muita harmonia entre nós, sem criar muito conflito com a gestão, mas se for pela causa iremos ter, fiz parte da gestão passada e vejo que deu uma estruturada no município, e é importante a ir na Receita Federal fazer um diagnóstico se estava sendo pago ou não o INSS, os 60 meses que faltam não seria pago pela Dr(a) Lydia, e os 11 milhões não seria em uma gestão só, que iria pagar, mesmo pagando a cada seis meses o sistema trava e a gestão tem que entrar com uma ação para sair uma nova certidão”, concluiu.

Com informações Facebook da Câmara

Fonte:: DESTAQUES – CAPIM GROSSO

Deixe uma resposta